Cidade de Bragança


Um pouco da nossa história: 62 anos atrás - A 1ª Exposição Agro Pecuária de Bragança Paulista
Por José Carlos Chiarion   Domingo,  22 ABR 2012

  Anualmente nesta cidade tem ocorrido a “Festa do Peão e a Expo-Agro”. Atualmente, a Prefeitura Municipal local contrata uma companhia especializada para organizar o evento; quando acontecem shows que atraem grande multidão, proporcionando enorme renda para os organizadores que repassam uma pequena porcentagem ao Executivo local.

Assim, o dinheiro ali arrecadado é desviado de nossa cidade, o comércio local sofre prejuízos; excetuando-se os proprietários de postos de gasolina, que eventualmente abastecem os carros dos visitantes que aqui aportam para o evento e ganham pelo combustível vendido.

Muita gente ignora quando começaram em nossa cidade estas festas agropecuárias e como aconteciam. Aproveitando que nesta semana se completa 62 anos da primeira Exposição Agro Pecuária em Bragança Paulista (era este o nome da festa), trazemos aos leitores, em especial aos mais jovens, o texto sobre o assunto que tivemos a oportunidade de publicar há dois anos e que teve grande repercussão. Com certeza este trará muitas informações a grande parte de nossa população.

De 21 a 23 de abril de 1950, realizou-se nesta cidade a “1ª Exposição Agro Pecuária de Bragança Paulista” que foi organizada por bragantinos e patrocinada pela “Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo”, contando com a colaboração da Associação Rural e Prefeitura Municipal.

Seus idealizadores tinham por escopo incentivar a produção agrícola e a pecuária no nosso município e nas zonas circunvizinhas, mostrar à população em geral, aos criadores e aos lavradores em particular, o grau de desenvolvimento da pecuária da região e o progresso da produção agrícola; expondo os produtos da lavoura antes e depois de industrializados, além de favorecer o comércio de gado e estimular as vendas dos produtos agrícolas da região.

Naquele tempo, tal exposição constituiu fato inédito para nossa terra e nos dias em que foi realizada, uma grande multidão, composta de pessoas desta cidade e incalculável número de turistas acompanharam as solenidades que, pela primeira vez, foram realizadas no magnífico recinto do Posto de Monta desta cidade.

Um bem elaborado programa foi cumprido. No dia 21 de abril de 1950, abrindo as solenidades, foi realizada às 8h00 horas missa solene na Catedral. As 11h00, na sede da Associação Rural, que naquela época ficava na Rua Coronel Leme nº. 176 nesta cidade, foi oferecido às delegações de expositores das cidades circunvizinhas e da Capital, um coquetel, durante o qual fizeram-se ouvir diversos oradores.

Logo após essa reunião, os presentes fizeram uma visita à Fazenda Primavera, que pertencia ao Dr. Cyro Berlinck, onde foi servido um almoço aos visitantes, cerca de 150 pessoas.

Após o almoço, todos se dirigiram para o recinto da Exposição, que já se achava completamente lotado, aguardando ali a chegada do Sr. Secretário da Agricultura Dr. Edgard Pereira Barreto.

Às 16h00, S. Excia. acompanhado de representante do sr. Governador do Estado, autoridades estaduais e municipais e representantes das associações de classe locais, procedeu a inauguração da 1ª Exposição Agro Pecuária de Bragança Paulista, com o hasteamento da Bandeira Brasileira ao som do Hino Nacional executado pela “Corporação Musical XV de Outubro”; havendo também o hasteamento da Bandeira Paulista pelo então Prefeito sr. Francisco Samuel Lucchesi Filho, seguindo-se os tradicionais discursos.

Terminados os atos inaugurais, procedeu-se na pista do recinto o “desfile dos animais”, os quais foram devidamente classificados e premiados. Depois as autoridades locais e os ilustres visitantes percorreram todas as dependências da Exposição.

No dia 22 de abril, em prosseguimento; às 9h00 deu-se a “abertura do recinto”, quando foram realizadas provas hípicas durante todo o transcorrer do dia. Às 20h00, na sede da Associação Rural, foram “exibidos documentários” na presença de autoridades e pessoas gradas. Às 21h30 realizou-se um imponente “desfile de tratores ornamentados" pelas ruas da cidade, transportando as belas candidatas à “Rainha da Agricultura”, lindas jovens desta cidade e das cidades circunvizinhas.

Às 23h00 teve lugar o majestoso “Baile da Agricultura” nos salões do Clube Literário e Recreativo, no qual tomaram parte as gentis Rainhas e cujas danças foram ritmadas pela “Orquestra Clovis e Ely” da TV Excelsior. Nessa oportunidade, foi feita a eleição da “Rainha da Agricultura”, na qual tomaram parte as candidatas: Maria Nazaré Cunha, de Piracaia; Vera Cezar, de Atibaia; Lucila Pupo Nogueira, de Serra Negra; Nilce Magrini Liza, de Bragança Paulista; Iara Vilaça, de Joanópolis; Maria Dulce Cintra Pimentel, de Amparo e Dinorah Gomes de Godoy, de Lindóia. Saiu vencedora a candidata Maria Dulce Cintra Pimentel, da cidade de Amparo, que recebeu a coroa e o manto, tendo as demais recebido a faixa de Princesa.

No dia 23, às 9h00 foram abertos os portões do recinto da exposição e às 12h00 foi servido um delicioso churrasco ao povo que ali se encontrava. Às 14h00 houve provas hípicas e finalmente, às 20h00 uma sessão solene de encerramento com entrega de prêmios, nos salões do Clube Literário e Recreativo, em cuja solenidade estavam presentes além de autoridades, elementos representativos de toda a zona bragantina.

Assim aconteceu a 1ª Exposição Agro Pecuária de Bragança Paulista, na qual, com a colaboração dos poderes competentes, do comércio e indústria e dos fazendeiros, foram premiados os melhores criadores de gados suíno, bovino, caprino e de aves e os produtores rurais de toda a região.

Essa Exposição ainda veio a repetir-se por vários anos, sempre contando com o apoio dos poderes públicos estadual e municipal e patrocínio da Associação Rural, contribuindo dessa forma para que fossem valorizados os trabalhos de fomento agrícola e pecuário da região bragantina. Com o decorrer do tempo e mudanças políticas, esse importante certame foi relegado a um segundo plano e deixado para trás.

Depois de muitos anos de inatividade, voltaram a realizar-se essas festividades modificadas. Primeiramente “estufando” demasiadamente o período da festividade, de 3 dias para 8 a 10 dias sequenciados, o que acabava prejudicando os que deveriam ser o foco da festa, isto é, os bovinos, equinos e caprinos. A isso juntaram-se rodeios, shows artísticos e exposição de alguns animais e produtos hortigranjeiros e agregaram o pomposo nome de “Festa do Peão e Expo-Agro”.

Essa promoção, embora conte com enorme presença de público, tornou-se um meio de promoção política e uma evasão de dinheiro que, ao invés de ser gasto no comércio local é despendido para pagamento de artistas e para lucro da companhia que costumeiramente vence a licitação para a organização desse evento.

E por terem levado o município de Bragança Paulista a se projetar no panorama político-econômico do Estado, as primeiras Exposições Agro Pecuárias realizadas em nossa terra fazem parte da nossa história.